17/10/2009

Casos para a Colecção

Quem diria que o "malandro" se esconderia aqui?
Quem disse que no trabalho não se brinca às escondidas com a segurança?

4 comentários:

Nuno disse...

Parabéns. O seu blogue está muito bom. Espero poder tornar-me TSSHT dentro em breve.
Nuno Belchior

Mónica disse...

bem-vindo e boa sorte na vida profissional!

Ana disse...

ATENÇÃO MUITA ATENÇÃO!

Grande negócio com os THSTs ou TSHSTs (HÁ UMA PANÓPLIA EMPRESAS/PESSOAS A VIGARIZAREM ESTES PROFISSIONAIS)!

Caros colegas, estou a enviar este e-mail, para alertar para as seguintes situações pois está-se a viver à custa destes profissionais!

Por exemplo, as empresas põem um anúncio anónimo a solicitar aos referidos profissionais, os seus C.Vs, CAPs, certificados etc. Nota: Nunca enviar o CAP, OU CERTIFICADOS! As empresas dizem que é para terem meio de prova, mas não é assim! Os referidos certificados só devem ser enviados depois de chamados para a entrevista e mais tarde contactados para iniciarem o trabalho (toda a documentação deverá ser solicitada por escrito, designando as funções, horário a cumprir etc.).
Qualquer das formas se mesmo assim pedirem a referida documentação, não há problema, tapem sempre o número do certificado, entre outros dados que considerem importantes, como por exemplo:
- Nº de BI;
- Parte do vosso Nome etc.

Muitas empresas aproveitam apenas vosso C.V. para o colocarem em obra, fingindo que possuem um técnico de segurança ou téc. superior, mas não o possuem, pois vocês não foram chamados para exercer essas funções, agora contabilizem isso por diversas obras a decorrer ao mesmo tempo e é só lucro, e vocês nada! Para evitar isto, é só escreverem transversalmente de cor e fundo vermelho ao vosso C.V., tipo marca de água, em todas as folhas que - apenas o enviam com fim de obtenção de trabalho.

Se forem chamados para trabalharem, enviam então, o C.V. sem a marca de água. Mas como existe o período experimental, em qualquer altura a entidade patronal, pode, sem justificação, colocar na rua, se isso acontecer, e se desconfiarem algo de estranho, denunciam o caso ao ACT ou à IGT nas próprias delegações (loja do cidadão, sindicatos ou associações etc.).
CUIDADO COM OS RECIBOS VERDES!,
Com estes famosos recibos verdes, vocês têm contar com as seguintes despesas, por conta própria:
- Seguro de Acidentes de Trabalho, que como sabem é obrigatório;
- Marcar uma consulta médica, para fazer os seguintes exames:
- Oftamológico;
- Audiométrico;
- Análises de sangue e urina;
- Electrocardiograma etc.

Não têm direito à Subsídio Férias, Natal etc
Mesmo que façam descontos para a segurança Social, não têm direito ao subsídio de desemprego, pois apenas vocês descontaram, a empresa não, porque é recibo verde (trabalhador independente ou free-lancer).
Se ficarem doentes, o azar é vosso, não têm direito a receber nada pelo tempo que estiveram parados.

Para se deslocarem à obra/obras têm de ter:
- Carro próprio, (despesas de gasolina/gásoleo e as associadas ao desgaste do carro);
- Portátil, telemóvel e acesso à net.

Ultimamente há uma série de empresas que só se interessam apenas destes profissionais por este método de pagamento, por ser muito conveniente não só, em termos financeiros, como mais fácil de enganar toda a gente, dado que o vosso C.V., documentos, certificados e tudo mais é colocado em diversas obras ao mesmo tempo ou não, ou entretanto mais tarde apareçam, sem o vosso conhecimento nem ganho! Portanto muita atenção!
Se houver fiscalização, não há problema, eles apresentam como se vocês lá estivessem e que de momento se encontram noutra obras, o que não é verdade, ou seja não são apanhados. Portanto denunciem, divulguem o caso etc, se vos aparecer algo estranho! Acreditem no vosso instinto!

Por outro lado, se acharem situações, comportamentos estranhos no local de trabalho e não só, vão à Internet no Site Segurança Social verificar se estas têm efectuado descontos. Se não, questionem, e passem por lá verificar se já o fizeram. Se virem que já passou dos limites denunciem!

Mónica disse...

Olá Ana! Obrigada pelos conselhos, nunca são demais por serem totalmente verdade, infelizmente acontece. E também acontece em fase de concurso, as declarações do trabalhador a comprometer-se a assumir a função na obra A no local B. Se a obra for ganha o trabalhador tem mesmo que assumir (perante a pp empresa), imaginemos que B fica a 200kms de casa? não há direito a negociação sobre condições salariais e compensações pela deslocação...


Boa sorte Ana!